5 grandes mitos sobre as lâmpadas LED

Todo mundo sabe que a era das lâmpadas incandescentes já passou. Desde 2015, esse tipo de lâmpada vem sendo retirado do mercado brasileiro por gastar muita energia em troca de uma eficiência mínima. Dessa forma, diversas opções de iluminação passaram a ser procuradas no mercado, e as lâmpadas LED representam, entre elas, uma forma mais econômica e eficiente de iluminar a casa. No entanto, ainda há quem diga que existem alguns problemas com essa alternativa mais nova nas lojas, e pensando nisso, desmistificamos alguns dos principais mitos que ouvimos por aí sobre esse tipo de lâmpada.

1 – Lâmpadas LED são caras demais

1 - Lâmpadas LED são caras demais

Hoje elas são só um pouco mais caras que as demais lâmpadas, mas, apesar disso, a longo prazo representam uma grande economia que supre o gasto inicial. Além de reduzirem a conta de energia, também não precisam de manutenção por um bom tempo, já que a vida útil do LED é muito longa, com alguns modelos que duram em torno de 25000 horas funcionando.

2 – LEDs não brilham o suficiente

lampada

Muitas pessoas procuram olhar o número de watts das lâmpadas para saber se elas iluminam bem, o que é um erro. Esse número mostra, na verdade, o quanto de energia o equipamento usa, e não significa que ele iluminará mais por conta disso. A iluminação é medida em lumens, e sabendo disso, as lâmpadas de LED liberam mais lumens por watt do que as velhas “amarelinhas”, iluminando em média 6 vezes mais por watt gasto em relação às incandescentes de acordo com o portal estrangeiro Popular Mechanics.

3 – Essas lâmpadas não podem ser dimerizadas

3 - Essas lâmpadas não podem ser dimerizadas

Existem muitos modelos de lâmpadas LED que são fabricados para serem dimerizáveis, possibilitando a alteração dos níveis de iluminação dos ambientes da sua casa de acordo com a sua vontade. Você só precisa ter um switch adequado para este tipo de lâmpada e poder usufruir das mesmas vantagens das antigas lâmpadas incandescentes, mas gastando muito menos. O Bluelux é totalmente compatível com lâmpadas LED, então além de você ter total controle sobre a iluminação, também pode controlar livremente a intensidade do brilho das lâmpadas LED dimerizáveis.

4 – Lâmpadas LED precisam de um tempo para esquentar

4 - Lâmpadas de LED precisam de um tempo para esquentar

Como as antigas lâmpadas esquentavam muito para produzir luz, as pessoas ainda pensam que é preciso de um tempo para “esquentar” antes da iluminação estar funcionando em total capacidade. Mas hoje em dia isso é uma grande bobagem. Diferente de algumas lâmpadas fluorescentes, que têm um tempo de resposta um pouco mais demorado, as LED brilham imediatamente com a sua capacidade máxima de iluminação quando ligadas.

5 – LEDs podem te deixar cego

5 - LEDs podem te deixar cego

Um experimento publicado no “Journal of Photochemistry and Photobiology”, que divulga estudos científicos relacionados a luz, concluiu que a iluminação de LED pode causar danos à visão. Mas aí vem o detalhe importante: os cientistas expuseram células da retina humana à luz LED por 12 horas, o que equivale a alguém olhando fixamente para uma lâmpada de 100 watts a 10 centímetros de distância por 12 horas. Claramente estar exposto a uma luz tão forte e por tanto tempo causaria problemas de visão a qualquer um, afinal, assim como não iremos olhar diretamente para o Sol, também não concentraremos nossa atenção em qualquer lâmpada por um tempo tão longo (e muito menos tão perto).

Agora que você já conhece o que está por trás de cada um desses mitos, pode apostar tranquilamente nas lâmpadas LED para iluminar a sua casa gastando pouco dinheiro na conta de energia, pouco tempo com manutenção e ainda por cima sem abrir mão da vantagem de poder controlar a intensidade da luz nos cômodos da sua casa.

Compartilhe o conteúdo deste artigo em suas redes sociais:

Menu